TRATAMENTO

A Segurança na Sala de Cirurgia Plástica

 

A crescente procura por cirurgias plástica e procedimentos estéticos traz à tona um tema de fundamental importância: a escolha de um profissional qualificado, capaz de oferecer um tratamento seguro com mínimo de riscos e o local onde será realizada a cirurgia , de preferência, onde só se realizem cirurgias limpas, como a cirurgia plástica.

Para começar, a higiene da equipe cirúrgica tem que ser total e absoluta. Além de usar uma roupa especial, proteger o cabelo com uma touca, o rosto com uma máscara e os sapatos com propés, todos que irão entrar na sala devem lavar as mãos com uma solução bactericida. Não poderá haver contato com nenhuma área não estéril. Os objetos, por sua vez, são todos descartáveis ou, então, rigorosamente esterilizados. Durante a operação, o cirurgião recebe a assistência de uma equipe constituída, normalmente, de cinco pessoas escolhidas por ele: o anestesista, o auxiliar (que também tem formação ciúrgica), o instrumentador , a enfermeira e o técnico de enfermagem.

 O Anestesista:  Além de aplicar a anestesia e cuidar da sua manutenção, é o principal responsável pelo acompanhamento dos sinais vitais do paciente, como pressão sangüínea, temperatura e respiração 

Os materiais e os medicamentos necessários são previamente selecionados e enviados à sala apenas alguns minutos antes do início da cirurgia. 

Os equipamentos da sala ciúrgica, em resumo, compõem-se:

1.Mesa de instrumentos Cirúrgicos: fica ao lado do instrumentador, com todos os instrumentos dispostos na ordem em que serão usados durante a cirurgia.

2. Torre de equipamento: A monitorização mínima é utilizada para procedimentos simples, em que o paciente está em bom estado geral, e consiste dos seguintes métodos: Eletrocardioscopia, pressão arterial não invasiva, controle da temperatura corporal, oximetria de pulso e estetoscópio precordial. Dependendo da necessidade de cada paciente, podem ser utilizados outros equipamentos mais complexos.

3. O aspirador suga secreções como sangue e linfa, quando vazam durante a cirurgia, e também aspira o soro fisiológico usado para limpar a região que está sendo operada. O lipoaspirador- utilizado nos procedimentos de lipoaspiração. Este equipamento complementa-se com o aspirador cirúrgico. Reduz o tempo cirúrgico, possibilitando ao paciente , o retorno mais rápido às sua atividades.

4. Carrinho de medicamentos: É uma espécie de reserva de remédios e itens (como agulhas e seringas) não requisitados pelo cirurgião, de controle do anestesista.

5. Foco cirúrgico: A intensa luz branca é fundamental para garantir a máxima visibilidade. Os focos são móveis e podem ser posicionados de acordo com a necessidade do cirurgião

6. Cesto de materiais usados: Tudo o que o cirurgião não vai usar mais é jogado aqui dentro. A equipe conta cada item utilizado (da gaze aos instrumentos) 

7. Manta térmica:  usa-se sempre que a temperatura ambiente estiver baixa, essa coberta especial para aquecer o paciente. Um motor regulado por termostato bombeia ar quente para dentro da manta através de um tubo

8. Mesa cirúrgica: Bem estreita, ela pode ser posicionada de várias formas e conta com acessórios de extensão para braços e pernas, caso o paciente precise ser posicionado de forma diferente

9. Bisturi elétrico: O equipamento funciona como um bisturi normal - com a vantagem de coagular o sangue logo após o corte, evitando hemorragias e reduzindo sangramentos

10. Gerador: Imprescindível em uma sala cirúrgica. Potente o suficiente para fornecer energia elétrica , em caso de falta de energia elétrica, a todos os equipamentos.

11. Compressor Pneumático Intermitente: age como um massageador nos membros inferiores do paciente, aumentando desta forma, o retorno venoso do paciente em, aproximadamente, 120%.A função desta aparelho é a prevenção da trombose venosa profunda.

VEJA TAMBÉM

Curta nossa página no Facebook

Copyright © 2013 - 2017 - Clínica Sotelo - Todos os direitos reservados.